Esqueceu sua senha? | Cadastre-se

“Se reforma passar economia pega pique”, diz Tony Volpon

25/02/2019

Se a reforma da Previdência for aprovada ainda no primeiro semestre, a economia brasileira poderá crescer entre 2,8% e 3% este ano e ter um “pique” além dos 3% em 2020. A estimativa é do economista-chefe do banco suíço UBS no Brasil, Tony Volpon. Para ele, embora o ex-presidente Michel Temer não tenha conseguido aprovar mudanças na Previdência, os erros na condução de sua proposta no Congresso deixaram um aprendizado para que o governo Jair Bolsonaro não cometa os mesmos deslizes.

“Se a proposta for votada no primeiro semestre, entre maio e junho, há um efeito positivo que pode levar o Produto Interno Bruto (PIB) a crescer entre 2,8% e 3%. Se passar, a economia pega um pique e pode acelerar acima de 3% em 2020. O inverso é negativo. Se não passar, é difícil fazer previsão de PIB.”, afirmou Volpon.

Em entrevista, o economista afirmou que a reforma é crucial para arrumar as contas do governo:

“A reforma é “o pagamento da primeira parcela” para estancar o crescimento da dívida pública. O gasto com aposentados consome 58% do Orçamento. Depois, o país precisa voltar a ter superávit primário de 2,5% a 3% do PIB. É muito dinheiro, cerca de R$ 200 bilhões. A reforma ajuda na expansão do país, traz confiança e mais receita ao governo. Temos ainda as concessões e a cessão onerosa. Tudo isso ajuda a fechar a conta do déficit recorrente (sem receitas extras).”

Fonte: O Globo