Esqueceu sua senha? | Cadastre-se

Balança ajuda o País a fechar contas externas no azul pela primeira vez desde abril de 2009.

27/05/2016

O superávit de US$ 4,647 bilhões registrado na balança comercial brasileira foi decisivo para que as contas externas do País registrassem o primeiro resultado positivo desde o mês de abril de 2009. Graças a esse resultado, as contas externas fecharam o mês passado com um superávit de US$ 412 milhões, segundo dados divulgados hoje (24) pelo Banco Central (BC.

Ao apresentar o balanço das contas externas, o chefe do Departamento Econômico do BC, Túlio. Maciel disse que o item das contas externas que tem “mostrado desemprenho melhor de forma bastante robusta” é a balança comercial. “O mês de abril é sazonalmente favorável, mas ainda assim melhor do que o previsto inicialmente.”

Segundo Túlio Maciel, o superávit de US$ 412 milhões é o primeiro resultado positivo desde abril de 2009, quando o resultado positivo das transações correntes, que são as compras e as vendas de mercadorias e serviços e transferências de renda do país com o mundo, ficou em US$ 125 milhões.

O chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel, disse que o resultado positivo em abril surpreendeu. “[É] um resultado que trouxe alguma surpresa. A gente caminhava para isso, mas ocorreu um pouco mais cedo do que os números estavam apontando. Nossa estimativa era de um déficit de US$ 1 bilhão [em abril].”

No mesmo mês do ano passado, o déficit em conta corrente foi de US$ 6,842 bilhões.De janeiro a abril, houve déficit de US$ 7,166 bilhões, contra US$ 31,941 bilhões em igual período de 2015.

No balanço das transações correntes, a conta de renda primária (lucros e dividendos, pagamentos de juros e salários) apresentou saldo negativo de US$ 1,933 bilhão, no mês passado.

A conta de serviços (viagens internacionais, transportes, aluguel de equipamentos, seguros, entre outros) apresentou resultado negativo de US$ 2,521 bilhões.

A conta de renda secundária (renda gerada em uma economia e distribuída para outra, como doações e remessas de dólares, sem contrapartida de serviços ou bens) apresentou resultado positivo, de US$ 219 milhões.

Em abril, o investimento direto no país (IDP), recursos que entram no Brasil e vão para o setor produtivo da economia, chegou a US$ 6,820 bilhões. Nos quatro meses do ano, esses investimentos somaram US$ 23,753 bilhões.

O país também registrou entrada de investimento em ações negociadas em bolsas de valores no Brasil e no exterior e em fundos de investimento no total de US$ 1,581 bilhão, em abril, e US$ 4,482 bilhões, nos quatro meses do ano. Houve saída líquida de investimento em títulos negociados no país de US$ 125 milhões, no mês passado, e de US$ 7,195 bilhões, de janeiro a abril deste ano.

Fonte: Comex do Brasil.